Tamo Junto Misturado, e…

Esse texto foi originalmente postado no The Design Edition.

Acabei de terminar um curso de 6 semanas, focado em estratégias de business para designers, escrevo esse texto ainda meio amortecido, porque se tem uma coisa que esse curso validou pra mim, é a confusão em que nos encontramos.

A medida que crescemos na carreira, nos deparamos com responsabilidades diferentes, e a medida que a nossa profissão fica mais madura, nos deparamos com novas questões, experiências, etc…

  • no início de carreira, você executa;
  • próximo passo, você começa a gerenciar pessoa(s);
  • mais tarde vem a direção de um time todo;
  • até que um dia você começa a dirigir a função de design.

Nos primeiros passos dessa caminhada, você se alinha a objetivos de produtos, de campanhas, OKRs, KPIs, etc… mas a medida que a sua responsabilidade aumenta, você precisa começar a pensar em custos vs profit, em alocação de profissionais, budget, engajamento de time, etc… No meu caso, essas mudanças de responsabilidades vieram sempre organicamente, eu nunca planejei nada na minha carreira e confesso que não foi fácil deixar o “craft”. Ainda hoje, sentando na mesa dos executivos eu me considero um designer purista, e preciso constantemente aprender novas ferramentas e processos que não aprendi na faculdade de Design, principalmente aquelas relacionadas ao mundo de Produto, já que em Branding e Marketing as expectativas são definidas mais claramentes.

Product Designers, entender de negócios e estratégia não quer dizer que você precisa substituir o papel do PM!

Entender como Design impacta o negócio, uso e aplicação de frameworks e mapas são importantes para alinhar design com estratégias de produtos e negócios, mas longe de virar uma responsabilidade que substitui o papel do PM. Percebo que essa confusão é mais visível quando os designers começam a ter cargos de lead, gerente, manager… parece que queremos mostrar serviço invadindo responsabilidades que não deveriam ser nossas.

Estamos confundindo tudo, um pisando no pé do outro, designer fazendo trabalho de PM e PM fazendo trabalho de designer. Podemos sem dúvida ajudar uns aos outros, trocar idéias, somar, trabalhar juntos, mas ter a expectativa de que designer precisa fazer o trabalho do PM, não.

Duas sugestões

  • Uma opção seria a de definir expectativas, desde o começo. A dupla, PM e Design, ou melhor ainda o trio, PM, Design e Dev devem trabalhar com foco nos mesmos resultados, mas cada um conhecendo a sua responsabilidade e o que é esperado dele(a) em um ambiente colaborativo
  • A outra opção seria assumir de fato que você também (ou somente) é um PM e oficializar isso de alguma forma
  • Tem alguma sugestão? Escreve nos comentários.

Até a próxima

Al Lucca

--

--

--

Designer— Host of Expatria.co podcast — Newsletter The Design Edition — Mentor @trydesignlab — Conteúdo (mostly) em Português

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Al Lucca

Al Lucca

Designer— Host of Expatria.co podcast — Newsletter The Design Edition — Mentor @trydesignlab — Conteúdo (mostly) em Português

More from Medium

The allure of easy measurability: one reason it’s so hard to build incredible products.

Person looking out a wall of windows in a high-rise skyscraper at a city skyline backlight by a light gray sky filled with clouds.

JD 101 | Ep 3: How to give feedback in design review | 5 useful tips

Instead of saying: “I like it”. Try this: “I do appreciate your massive interviews with clients to identify this pain point. We never know about it without your conversation with them. The interview reveals a lot of insightful information not only your ongoing project but also “

🌱 The Sustainable Experience Designer (SXD)

Pitching a New Design? Show Them How You Got There.